terça-feira, 18 de outubro de 2016

José de Alencar - Cinco Minutos - 09 / 10







Conteúdo educacional para Ensino Fundamental, Educação Infantil, Poesia, Idiomas,  Livros em Domínio Público, PDF para download, Letras de Músicas, Áudio Livros (Audiobooks) e muito mais em:





IX


Eram seis horas da tarde.
O sol declinava rapidamente, e a noite, descendo do céu, envolvia a terra nas sombras desmaiadas que acompanham o ocaso.
Soprava uma forte viração de sudoeste, que desde o momento da partida retardava a nossa viagem; lutávamos contra o mar e o vento.
O velho pescador, morto de fadiga e de sono, estava exausto de forças; a sua pá, que a princípio fazia saltar sobre as ondas como um peixe o frágil barquinho, apenas feria agora a flor da água.
Eu, recostado na popa, e com os olhos fitos na linha azulada do horizonte, esperando a cada momento ver desenhar-se o perfil do meu belo Rio de Janeiro, começava seriamente a inquietar-me na minha extravagância e loucura.
À proporção que declinava o dia e que as sombras cobriam o céu, esse vago inexprimível da noite no meio das ondas, a tristeza e melancolia que infunde o sentimento da fraqueza do homem em face dessa solidão imensa de água e de céu, se apoderavam do meu espírito.
Pensava então que teria sido mais prudente esperar o dia seguinte, e fazer uma viagem breve e rápida, do que sujeitar-me a mil contratempos e mil embaraços, que no fim de contas nada adiantavam.
Com efeito já tinha anoitecido; e, ainda que conseguíssemos chegar à cidade por volta de nove ou dez horas, só no dia seguinte poderia ver Carlota e falar-lhe.
De que havia servido, pois, todo o meu arrebatamento, toda a minha impaciência? Tinha morto um animal, tinha incomodado um pobre velho, tinha atirado às mãos cheias di- nheiro, que poderia melhor empregar socorrendo algum infortúnio e cobrindo esta obra de caridade com
o nome e a lembrança dela.
Concebia uma triste idéia de mim; no meu modo de ver então as coisas, parecia-me que eu tinha feito do amor, que é uma sublime paixão, apenas uma estúpida mania; e dizia interiormente que o homem que não domina os seus sentimentos, é um escravo, que não tem o menor merecimento quando pratica um ato de dedicação.
Tinha-me tornado filósofo, minha prima, e decerto compreenderá a razão.
No meio da baía, metido em uma canoa, à mercê do vento e do mar, não podendo dar largas à minha impaciência de chegar, não havia senão um modo de sair desta situação, e este era arrepender-me do que tinha feito.
Se eu pudesse fazer alguma nova loucura, creio piamente que adiaria o arrependimento para mais tarde, porém era impossível.
Tive um momento a idéia de atirar-me à água, e procurar vencer a nado a distância que me separava dela; mas era noite, não tinha a luz de Hero para guiar-me, e me perderia nesse novo Helesponto.
Foi decerto uma inspiração do céu ou o meu anjo da guarda que me veio advertir que naquela ocasião eu nem sabia mesmo de que lado ficava a cidade. Resignei-me, pois, e arrependi-me sinceramente.
Dividi com o meu companheiro algumas provisões que tínhamos trazido; e fizemos uma verdadeira colação de contrabandistas ou piratas.
Caí na asneira de obrigá-lo a beber uma garrafa de vinho do Porto, bebendo eu outra para acompanhá-lo e fazer-lhe as honras da hospitalidade. Julgava que deste modo ele restabeleceria as forças e chegaríamos mais depressa.
Tinha-me esquecido que a sabedoria das nações, ou a ciência dos provérbios, consagra o princípio de que devagar se vai ao longe.
Acabada a nossa magra colação, o pescador começou a remar com uma força e um vigor que me reanimaram a esperança.
Assim, docemente embalado pela idéia de vê-la e pelo marulho das ondas, com os olhos fitos na estrela da tarde, que se ia sumindo no horizonte e me sorria como para consolar-me, senti a pouco e pouco fecharem-se-me as pálpebras, e dormi.
Quando acordei, minha prima, o sol derramava seus raios de ouro sobre o manto azulado das ondas: era dia claro.
Não sei onde estávamos; via ao longe algumas ilhas; o pescador dormia na proa, e ressonava como um boto.
A canoa tinha vogado à mercê da corrente; e o remo, que caíra naturalmente das mãos do velho, no momento em que ele cedera à força invencível do sono, tinha desaparecido.
Estávamos no meio da baía, sem poder dar um passo, sem poder mover-nos.
Aposto, minha prima, que a senhora acaba de dar uma risada, pensando na cômica posição em que me achava; mas seria uma injustiça zombar de uma dor profunda, de uma angústia cruel como a que sofri então.
Os instantes, as horas, corriam de decepção em decepção; alguns barcos que passaram perto, apesar dos nossos gritos, seguiram o seu caminho, não podendo supor que com o tempo calmo e sereno que fazia, houvesse sombra de perigo para uma canoa que boiava tão levemente sobre as ondas.
O velho, que tinha acordado, nem se desculpava; mas a sua aflição era tão grande que quase me comoveu; o pobre homem arrancava os cabelos e mordia os beiços de raiva.
As horas correram assim nessa atonia do desespero. Sentados em face um do outro, talvez culpando-nos mutuamente do que sucedia, não proferíamos uma palavra, não fazíamos um gesto.
Por fim veio a noite. Não sei como não fiquei louco, lembrando-me que estávamos a 13, e que o paquete devia partir no dia seguinte.
Não era unicamente a idéia de uma ausência que me afligia; era também a lembrança do mal que ia causar-lhe, a ela, que, ignorando o que se passava, me julgaria egoísta, suporia que a havia abandonado, e que ficara em Petrópolis divertindo-me.
Aterrava-me com as conseqüências que poderia ter esse fato sobre a sua saúde tão frágil, sobre a sua vida; e me condenava já como assassino. Lancei um olhar alucinado sobre o pescador, e tive ímpetos de abraçá-lo e atirar-me com ele ao mar. Oh! como sentia então o nada do homem e a fraqueza da nossa raça, tão orgulhosa de sua superioridade e do seu poder! De que me serviam a inteligência, a vontade, e essa força invencível do amor, que me impelia e me dava coragem para arrostar vinte vezes a morte?
Algumas braças d'água e uma pequena distância me retinham e me encadeavam naquele lugar como a um poste; a falta de um remo, isto é, de três palmos de madeira, criava para mim o impossível; um círculo de ferro me cingia, e para quebrar essa prisão, contra a qual toda a minha razão era impotente, bastava-me que fosse um ente irracional.
A gaivota, que frisava as ondas com a ponta de suas asas brancas; o peixe, que fazia cintilar um momento seu dorso de escamas à luz das estrelas; o inseto, que vivia no seio das águas e plantas marinhas, eram reis dessa solidão, na qual o homem não podia sequer dar um passo.
Assim, blasfemando contra Deus e sua obra, sem saber o que fazia nem o que pensava, entreguei-me à Providência; embrulhei-me no meu capote, deitei-me e fechei os olhos para não ver a noite adiantar-se, as estrelas empalidecerem e o dia raiar.
Tudo estava sereno e tranqüilo; as águas nem se moviam; apenas sobre a face lisa do mar passava uma aragem tênue, que se diria hálito das ondas adormecidas.
De repente, pareceu-me sentir que a canoa deixara de boiar à discrição e singrava lentamente; julgando que fosse ilusão minha, não me importei, até que um movimento contínuo e regular me convenceu.
Afastei a aba do capote e olhei, receando ainda iludir-me; não vi o pescador; mas a alguns passos da proa percebi os rolos de espuma que formavam um corpo agitando-se nas ondas.
Aproximei-me, e distingui o velho pescador, que nadava, puxando a canoa por meio de uma corda que amarrara à cintura, para deixar-lhe os movimentos livres.
Admirei essa dedicação do pobre velho, que procurava remediar a sua falta por um sacrifício que eu supunha inútil: não era possível que um homem nadasse assim por muito tempo.
Com efeito, passados alguns instantes, vi-o parar e saltar ligeiramente na canoa como temendo acordar-me; a sua respiração fazia uma espécie de burburinho no seu peito largo e forte.
Bebeu um trago de vinho, e com o mesmo cuidado deixou-se cair n'água e continuou a puxar a canoa.
Era alta noite quando nesta marcha chegamos a uma espécie de praia, que teria quando muito duas braças. O velho saltou e desapareceu.
Fitando a vista nas trevas, vi uma claridade, que não pude distinguir se era fogo, se luz, senão quando uma porta abrindo-se deixou-me ver o interior de uma cabana.
O velho voltou com um outro homem, sentaram-se sobre uma pedra e começaram a falar em voz baixa. Senti uma grande inquietação; na verdade, minha prima, só me faltava, para completar a minha aventura, uma história de ladrões.
A minha suspeita, porém, era injusta; os dois pescadores estavam à espera de dois remos que lhes trouxe uma mulher, e imediatamente embarcaram e começaram a remar com uma força espantosa.
A canoa resvalou sobre as ondas, ágil e veloz como um desses peixes de que há pouco invejava a rapidez.
Ergui-me para agradecer a Deus, ao céu, às estrelas, às águas, a toda a natureza enfim, o raio de esperança que me enviavam.
Uma faixa escarlate já se desenhava no horizonte; o oriente foi-se esclarecendo de gradação em gradação, até que deixou ver o disco luminoso do sol.
A cidade começou a erguer-se do seio das ondas, linda e graciosa, como uma donzela que, recostada sobre um monte de relva, banhasse os pés na corrente límpida de um rio.
A cada movimento de impaciência que eu fazia, os dois pescadores dobravam-se sobre os remos e a canoa voava. Assim nos aproximamos da cidade, passamos entre os navios, e nos dirigimos à Glória, onde pretendia desembarcar, para ficar mais próximo de sua casa.
Em um segundo tinha tomado a minha resolução; chegar, vê-la, dizer-lhe que a seguia, e embarcar-me nesse mesmo paquete em que ela ia partir.
Não sabia que horas eram; mas há pouco havia amanhecido; tinha tempo para tudo, tanto mais que eu só precisava de uma hora. Um crédito sobre Londres e a minha mala de viagem eram todos os meus preparativos; podia acompanhá-la ao fim do mundo.
Já via tudo cor-de-rosa, sorria à minha ventura e gozava da alegre surpresa que ia causar-lhe, a ela que já não me esperava.
A surpresa, porém, foi minha.
Quando passava diante de Villegaignon, descobri de repente o paquete inglês: as pás se moviam indolentemente, e imprimiam ao navio essa marcha vagarosa do vapor, que parece experimentar as suas forças, para precipitar-se a toda a carreira.
Carlota estava sentada sob a tolda, com a cabeça encostada ao ombro de sua mãe, e com os olhos engolfados no horizonte, que ocultava o lugar onde tínhamos passado a primeira e última hora de felicidade.
Quando me viu, fez um movimento como se quisesse lançar-se para mim; mas conteve-se, sorriu-se para sua mãe, e, cruzando as mãos no peito, ergueu os olhos ao céu, como para agradecer a Deus, ou para dirigir-lhe uma prece.
Trocamos um longo olhar, um desses olhares que levam toda a nossa alma e a trazem ainda palpitante das emoções que sentiu noutro coração; uma dessas correntes elétricas que ligam duas vidas em um só fio.
O vapor soltou um gemido surdo; as rodas fenderam as águas; e o monstro marinho, rugindo como uma cratera, vomitando fumo e devorando o espaço com os seus flancos ne- gros, lançou-se.
Por muito tempo ainda vi o seu lenço branco agitar-se ao longe, como as asas brancas do meu amor, que fugia e voava ao céu.
O paquete sumiu-se no horizonte.
       





Conteúdo completo disponível em:






Links:


Ismalia - Alphonsus de Guimaraens

Esta Velha - Álvaro de Campos (Heterónimo de Fernando Pessoa)

Espasmo - Mario de Andrade

Exaltação da Paz - Mario de Andrade

Luís Vaz de Camões - Descalça vai para a fonte

Uma lembrança - Emília Freitas

Contemplações - Cordélia Sylvia

Morte de Raquel - Madalena da Glória

Sóror Maria do Céu - Sobre as palavras do padre Vieira

Prece - Natalina Cordeiro

A Raposa e as Uvas - Manuel Maria Barbosa du Bocage

Luís Vaz de Camões - Apolo e as Nove Musas Descantando

Escreve-me - Florbela Espanca

Se tu viesses ver-me - Florbela Espanca

Que falta nesta cidade - Gregório de Matos

Flor da Mocidade - Machado de Assis

Velhas Árvores - Olavo Bilac

Billboard Hot 100 - Letras de Músicas | Song Lyrics - Songtext - Testo Canzone - Paroles Musique - 歌曲歌词 - 歌詞 - كلمات الاغنية - песни Текст

Educação Infantil - Vídeos, Jogos e Atividades Educativas para crianças de 4 à 11 anos

Língua Portuguesa e Atualidades

Arte e Estética

Santa Catarina - Conheça seu Estado

São Paulo - Conheça seu Estado

Paraná - Conheça seu Estado

Mato Grosso do Sul - Conheça seu Estado

Bíblia Online

O Diário de Anne Frank

Macunaíma - Mário de Andrade

Dom Casmurro - Machado de Assis

Quincas Borba - Machado de Assis

Memórias Póstumas de Brás Cubas - Machado de Assis

Esaú e Jacó - Machado de Assis

Mein Kampf - Adolf Hitler

Cinco Minutos - José de Alencar

O Triste Fim de Policarpo Quaresma - Lima Barreto

História em 1 Minuto

TOP 15: PDF para Download - Domínio Público


Livros em PDF para Download

O Diário de Anne Frank - Download PDF Livro Online

Camilo Castelo Branco - Livros em PDF para Download

Castro Alves - Livros em PDF para Download

Eça de Queiros - Livros em PDF para Download

Euclides da Cunha - Livros em PDF para Download

Fernando Pessoa - Livros em PDF para Download

Jane Austen - Livros em PDF para Download

José de Alencar - Livros em PDF para Download

Machado de Assis - Livros em PDF para Download

Virginia Woolf - Livros em PDF para Download

William Shakespeare - Livros em PDF para Download

Mein Kampf - Adolf Hitler - Download PDF Livro Online

O Alienista - Machado de Assis - PDF Download Livro Online

Macunaíma - Mário de Andrade - PDF Download Livro Online

Esaú e Jacó - Machado de Assis - PDF Download Livro Online

Dom Casmurro - Machado de Assis - PDF Download Livro Online

Memórias Póstumas de Brás Cubas - Machado de Assis - PDF Download Livro Online

Quincas Borba - Machado de Assis - PDF Download Livro Online

Quincas Borba - Machado de Assis - PDF Download Livro Online

TOP 30: Billboard - Letras de Músicas - Song Lyrics - Songtext


GooFresh Eyes - Andy Grammer - Song Lyrics

Wanna Be That Song - Brett Eldredge - Song Lyrics

Song For Another Time - Old Dominion - Song Lyrics

Goosebumps - Travis Scott - Song Lyrics

LIFTED - CL - Song Lyrics

Capsize - Frenship & Emily Warren - Song Lyrics

Don't Touch My Hair - Solange Featuring Sampha - Song Lyrics

Mercy - Shawn Mendes - Letras de Música

Juju On That Beat (TZ Anthem) - Zay Hilfigerrr & Zayion McCall - Letras de Música

Hold Up - Beyonce - Letras de Música

HandClap - Fitz And The Tantrums - Songtext

Key To The Streets - YFN Lucci feat Migos & Trouble - Letras de Música

Wishing - DJ Drama feat Chris Brown, Skeme & Lyquin - Letras de Música

Too Much Sauce - DJ ESCO feat Future & Lil Uzi Vert - Letras de Música

All We Know - The Chainsmokers feat Phoebe Ryan - Letras de Música

Sleep Without You - Brett Young - Letras de Música

A Little More Summertime - Jason Aldean - Letras de Música

I Know Somebody - LoCash - Letras de Música

False Alarm - The Weeknd - Letras de Música

Rock On - Tucker Beathard - Letras de Música

Say It - Flume feat Tove Lo - Letras de Música

This Town - Niall Horan - Letras de Música

Scars To Your Beautiful - Alessia Cara - Song Lyrics

I Met A Girl - William Michael Morgan - Song Lyrics

Perfect Illusion - Lady Gaga - Song Lyrics

Pick Up The Phone - Young Thug And Travis Scott Featuring Quavo - Song Lyrics

Forever Country - Artists Of Then, Now & Forever - Song Lyrics

In The Name Of Love - Martin Garrix & Bebe Rexha - Song Lyrics

OOOUUU - Young M.A - Song Lyrics

Black Beatles - Rae Sremmurd feat Gucci Mane - Letras de Música

Starboy - The Weeknd feat Daft Punk - Song Lyrics

Side To Side - Ariana Grande feat Nicki Minaj - Song Lyrics

My Way - Calvin Harris - Song Lyrics

The Greatest - Sia feat Kendrick Lamar - Song Lyrics

Broccoli - D.R.A.M. - Song Lyrics

Don't Mind - Kent Jones - Song Lyrics

Luv - Tory Lanez - Song Lyrics

Can't Stop The Feeling! - Justin Timberlake - Song Lyrics

This Is What You Came - Calvin Harris Ft. Rihanna - Song Lyrics

Cranes In The Sky - Solange - Song Lyrics

Sit Still, Look Pretty - Daya - Song Lyrics

May We All - Florida Georgia Line feat Tim McGraw

X - 21 Savage & Metro Boomin feat Future - Song Lyrics

Caroline - Amine - Song Lyrics

Blue Ain't Your Color - Keith Urban - Song Lyrics

Fade - Kanye West - Song Lyrics

CRZY - Kehlani - Song Lyrics

All Eyez - The Game Featuring Jeremih - Song Lyrics

TOP 60:


As festas populares no estado de São Paulo

Assalto - Carlos Drummond de Andrade

Atividades extrativistas do estado de São Paulo - SP

As festas populares no estado do Paraná - PR

Áreas de preservação no estado de São Paulo - SP

Gonçalves Dias - Marabá - Poesia

O tropeirismo no estado do Paraná - PR

Bacias hidrográficas do estado de São Paulo - SP

Atividades extrativistas no Paraná - PR

Os imigrantes no século XIX e XX no estado do Paraná - PR

Atividades extrativistas do Mato Grosso do Sul - MS

As atividades econômicas do estado de São Paulo - SP

As festas populares do estado de Mato Grosso do Sul - MS

Biomas brasileiros - SC

Atividades extrativistas de Santa Catarina - SC

Religião – Idade Antiga (História em 1 Minuto)

A população africana e a escravidão no Paraná - PR

Os imigrantes no estado de Santa Catarina no século XX - SC

Áreas de preservação Ambiental no estado de Santa Catarina - SC

As comunidades quilombolas no Mato Grosso do Sul - MS

O relevo do estado de São Paulo - SP

As atividades econômicas do estado do Paraná - PR

Áreas de preservação Ambiental no estado de Mato Grosso do Sul - MS

Memórias Póstumas de Brás Cubas - Capítulo 160 - Das Negativas (Machado de Assis)

Os biomas no estado do Mato Grosso do Sul - MS

A urbanização no estado de São Paulo no início do século XX - SP

A organização do espaço geográfico brasileiro

A poluição do rio Iguaçu (maior rio do Paraná) - PR

Clima e relevo do estado do Paraná - PR

As atividades econômicas no estado de Santa Catarina - SC

Áreas de preservação do estado do Paraná - PR

O Humanitismo - Capítulo 117 - Memórias Póstumas de Brás Cubas - Machado de Assis

As comunidades quilombolas no estado de Santa Catarina - SC

Vegetação nativa do estado de Santa Catarina - SC

As comunidades quilombolas no estado de São Paulo na atualidade - SP

Os índios Xetá no estado do Paraná - PR

Bacias hidrográficas de Santa Catarina - SC

Rio Iguaçu e sua importancia na historia do Paraná - PR

Machado de Assis - Esaú e Jacó - Capítulo 60 - Manhã de 15

A ocupação e o povoamento do Mato Grosso do Sul - MS

Clima e relevo no estado de Santa Catarina - SC

A formação da cultura de Santa Catarina - SC

Capítulo 17 - Ursa Maior - Mário de Andrade - Macunaíma

Luís Vaz de Camões - Soneto 57 - De Vos me Aparto, oh Vida! Em Tal Mudança

Bacias hidrográficas do Mato Grosso do Sul - MS

Gonçalves Dias - Canção do exílio - Poesia

As comunidades quilombolas no estado do Paraná - PR

A imigração europeia no estado do Paraná - PR

Elizabeth Barrett Browning - Sonnet 43 - How Do I Love Thee?

Biomas brasileiros - PR

Relevo do estado de Mato Grosso do Sul - MS

Machado de Assis - Memórias Póstumas de Brás Cubas

Luís Vaz de Camões - Soneto 43 - Como Quando do Mar Tempestuoso

A população indígena na região do estado de Santa Catarina - SC

Luís Vaz de Camões - Soneto 45 - Leda Serenidade Deleitosa

Norte Catarinense (Mesorregião) - SC

Top 10 - Prédios mais altos do mundo

A arte como registro histórico

A escultura, depois de Alexander Calder

Atividades Educativas Ensino Fundamental - Aprendendo sobre o Dinheiro

Os símbolos do estado do Rio de Janeiro - RJ

TOP 30: BLOG


História em 1 Minuto

Santa Catarina - Conheça seu Estado (História e Geografia)

São Paulo - Conheça seu Estado (História e Geografia)

Paraná - Conheça seu Estado (História e Geografia)

Mato Grosso do Sul - Conheça seu Estado (História e Geografia)

Rio de Janeiro - Conheça seu Estado (História e Geografia)

Língua Portuguesa, Arte e Literatura

Letras de Músicas - Sanderlei

Poesia - Sanderlei Silveira

Amor é fogo que arde sem se ver - Luís Vaz de Camões

Sonnet 116 - William Shakespeare

Poetry in English - Sanderlei Silveira

Áudio Livro - Sanderlei

Adolf Hitler - Mein Kampf (Minha luta)

Macunaíma - Mário de Andrade

Os Escravos - Castro Alves

João da Cruz e Sousa - Broquéis

Economia em 1 Minuto - Sanderlei

SAP - Course Free Online

Totvs - Datasul - Treinamento Online (Gratuito)

Euclides da Cunha - Os Sertões (Áudio Livro)

Contos de Eça de Queirós

Diva - José de Alencar - Audiobook

Sonetos - Poemas de Amor - Luís Vaz de Camões

Augusto dos Anjos - Eu e Outras Poesias

Artur de Azevedo - Contos

José de Alencar - Cinco Minutos


Um comentário: